7 dicas para economizar nas despesas do condomínio

Em tempos de crise e inflação alta, fazer economia é uma preocupação de todo brasileiro. E para milhares de pessoas, uma das principais contas do mês é a taxa de condomínio.

Afinal, quem mora em apartamento sabe: é preciso cuidar de despesas tais como a manutenção de áreas comuns, itens de lazer e elevadores; seguros; funcionários; luz; gás; água; reparos e fundo de reserva.

Todos esses custos são divididos entre os moradores e compõem a taxa condominial. E se houver inadimplência, essa taxa aumenta.

A boa notícia é que é possível economizar. Para isso, é preciso atenção, criatividade e planejamento.

Confira, abaixo, algumas dicas que a De Martin Construtora separou para você e comece a fazer economia.

Dicas

Invista em manutenção preventiva:

Prevenir é sempre melhor do que remediar. Por isso, cuide das manutenções preventivas. Geralmente elas são muito mais baratas do que obras de reparos. Faça uma lista dos equipamentos que precisam de manutenção, tais como elevadores, bomba d’água, pára-raios, extintores e portões eletrônicos. E programe-se para fazer a manutenção, seguindo as recomendações dos fabricantes. Contratar inspeções periódicas para verificar eventuais vazamentos, rede elétrica e elementos estruturais (paredes, colunas, lajes, etc) também é uma boa forma de evitar gastos com reparos.

Novas tecnologias

Todos os anos surgem milhares de novidades em tecnologia e algumas delas podem ajudar você a economizar na taxa de condomínio. Investir em sistemas de reaproveitamento de água das chuvas, painéis solares, sensores de presença e em outras alternativas pode reduzir contas com energia, água e ainda ajudar a preservar o meio ambiente. Muitas dessas tecnologias, além de gerar economia, ajudam a preservar o meio ambiente.

E é por isso que os novos projetos da De Martin ConstrutoraVilla do Mestre Residencial Clube e Villa Verde Condomínio Clube, trazem itens sustentáveis, tais como: sistema de reaproveitamento de água das chuvas, sensores de presença e válvulas sanitárias com racionalização de consumo.

Água

A conta de água sempre foi um dos vilões da taxa de condomínio. Conscientize moradores para conter rapidamente os vazamentos e aproveitar todas as maneiras possíveis de economizar. Alguns exemplos: molhar as plantas com regador ao invés de usar a mangueira; avaliar o consumo de água diariamente para identificar possíveis vazamentos e adotar hidrômetros individuais.

Quando cada apartamento tem o seu hidrômetro, ao invés do tradicional rateio dos gastos de água entre os moradores, cada família paga apenas o que consumir. Assim, há uma motivação para que cada pessoa ou família mude os hábitos e diminuam o uso de água.

Energia

Considere trocar as lâmpadas comuns ou antigas por lâmpadas de LED. Evite pintar as paredes do hall, corredores e escadas com cores muito escuras, pois elas exigirão lâmpadas mais fortes. Se possível, substitua os elevadores antigos por modelos mais modernos. Elevadores antigos exigem mais manutenções e geram mais gastos com energia. Desligue a luz de alguns pontos do condomínio em horários de pouco uso. Invista em sensores de presença.

Contratos e fornecedores

Na hora de contratar um serviço é importante fazer mais de uma cotação, para avaliar o melhor preço, sem abrir mão da qualidade. Assim, é possível comparar as condições e evitar pagar o valor mais alto.

No caso de contratos já em andamento, uma boa saída é fazer uma revisão periodicamente para renegociar escopos de serviços e valores.

Inadimplência

Mantenha uma planilha atualizada sobre a situação de cada apartamento. Em caso de inadimplência, cobre o devedor o quanto antes. Não deixe que a situação piore. Se o caso do morador for complicado, tente chegar a um acordo. Mas lembre-se que essa proposta de acordo deve estar prevista na convenção ou ser votada em assembléia.

Horas extras

Fique atento às horas extras. É preciso gerir bem o trabalho dos funcionários dos condomínios para não elevar gastos, sem necessidade. Divida bem as tarefas, controle o ponto e busque simplificar as atividades, para que elas possam ser feitas em menor tempo.