De Martin Construtora completa 12 anos

A De Martin Construtora acaba de completar 12 anos! Ao longo dessa jornada, contribuímos para que mais de 1.600 famílias capixabas realizassem o sonho da casa própria.

Também ampliamos a nossa atuação, iniciada em Vitória, para as cidades de Vila Velha, Serra, Guarapari e Linhares.

Outra mudança importante em nossa trajetória foi que, além de empreendimentos de médio e alto padrão, passamos a construir residenciais do programa Minha Casa Minha Vida.

Nas obras, a empresa atua sempre com foco na aplicação da boa técnica e na qualidade dos materiais, o que rendeu duas certificações que atestam a credibilidade no segmento de construção civil: a certificação internacional ISO 9001 e o selo do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQH), do Governo Federal.

Crescimento

Os 12 anos de história da De Martin Construtora foi marcado por crescimento, mudanças e também pela consolidação da imagem da construtora no mercado imobiliário capixaba.

Já construímos cerca de 70 mil metros quadrados com a entrega de 5 residenciais e a construção de outros 4 empreendimentos em andamento.

Em 2020 temos ainda mais motivos pra comemorar! Apesar da pandemia, está sendo um ano muito especial, com excelentes resultados em vendas e até com a contratação de novos funcionários.

“Tem sido um 2020 surpreendente! Nosso time está motivado, estamos batendo nossas metas, fazendo lançamento, entregando os residenciais. Agradeço a Deus e a todos os nossos colaboradores e parceiros que acreditam e se dedicam ao nosso negócio”, ressalta o diretor geral da De Martin Construtora, Ricardo De Martin.

Evolução

Uma das funcionárias mais antigas da construtora, Larissa Soprani de Lima cresceu junto com a De Martin Construtora. Ela entrou na empresa em 2011, como auxiliar de escritório, e hoje é coordenadora de Relacionamento com o Cliente.

“Na época não tinha nenhuma experiência administrativa ou no ramo da construção civil, mas fui abraçada por toda equipe, que me ensinou e me ensina muito. Tive oportunidade de me formar em administração de empresas e hoje lidero o setor comercial”, conta.

Para Larissa, o trabalho é desafiador, mas vale a pena porque todos atuam em equipe. “Estou sempre aprendendo e evoluindo. Não é apenas uma empresa, é uma grande família. Somos todos muito unidos e preocupados em sempre dar nosso melhor”, diz.

Para comemorar o aniversário da empresa, colaboradores e parceiros receberam uma surpresa: cartão, bola e bolo de aniversário. Também houve campanha nas redes sociais e um selo comemorativo de 12 anos.

Construção civil pode alavancar a economia, mesmo em tempo de crise

Quase 8 milhões de famílias brasileiras não têm acesso a moradia digna (IBGE); 15% da população do país não têm acesso à rede de água e 44% não é atendida por coleta de esgoto (indicadores do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento).

Esses dados alarmantes mostram que, infelizmente, ainda temos um longo caminho para percorrer – enquanto sociedade, poder público, iniciativa privada e organizações sociais, para termos um país com mais qualidade de vida e menos desigualdade social.

A mudança desse cenário não depende exclusivamente de um ator, seja ele da esfera pública ou da esfera privada, mas de cada um de nós.

Dentro desse contexto, gostaria de chamar a atenção para o setor de construção civil. Em 2019, o segmento registrou um saldo positivo de mais de 71 mil vagas com carteira assinada (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged).

Quando avaliamos o PIB do mesmo ano, os resultados também são positivos: a construção civil alcançou alta de 1,6% e foi responsável por 44% dos investimentos no país.

Esses números, que já foram melhores fora da crise, dão apenas um sinal da importância desse setor não só para o cenário de hoje, mas para o futuro da economia brasileira.

O déficit habitacional, que alcança milhares de brasileiros sem moradia digna, só corrobora para o potencial de crescimento da construção civil, que ainda envolve outra questão: comprar um imóvel sempre foi um bom negócio, mesmo durante as crises econômicas.

O setor continua funcionando como um porto seguro, não só de quem investe no mercado imobiliário, mas para milhares de famílias que sonham em ter um lar para chamar de seu.

Quando falamos nesse sonho da casa própria, que move tantos brasileiros, pensamos logo em segurança, dignidade e acima de tudo “no melhor investimento” que uma pessoa pode fazer.

Comprar um imóvel é um momento especial e esperado por quem batalha e luta diariamente para deixar o aluguel para trás. É uma meta de muitos brasileiros que sonham conquistar a casa própria: uma moradia digna em que possam viver com qualidade e segurança com a sua família e deixar como herança para seus filhos.

Além disso, ter um imóvel é uma alternativa de investimento, tendo em vista que há a preservação do patrimônio (capital investido) e, em caso de venda, o valor é remunerado no mínimo pela inflação.

Mas não é apenas a construção civil que tem alto potencial de ajudar o Brasil a se desenvolver: é preciso ampliar linhas de fomento para a infraestrutura, para melhorar o saneamento básico e a oferta de transportes inteligentes e limpos (ferroviário, por exemplo).

A educação, mãe do desenvolvimento social, também merece todo o cuidado do país. Afinal, um povo com acesso à educação de qualidade pode avançar em todos os setores e reduzir a desigualdade social.

Vale ressaltar, ainda, a saúde como área de fundamental importância para a nação e o SUS está aí dando provas de sua importância para o atendimento aos brasileiros, estejam eles onde estiverem.

A pandemia vai passar, a crise também. Precisamos, juntos, traçar as estratégias que vão contribuir para a retomada dos investimentos e dos empregos, com mais qualidade e oferta de serviços de saúde e educação para todos os brasileiros.

Ricardo De Martin, diretor-geral da De Martin Construtora

Ações de prevenção nos canteiros de obras

A pandemia do coronavírus exige da humanidade uma nova forma de viver, onde os cuidados com higiene devem ser uma preocupação de todos.
Nos canteiros de obras da De Martin Construtora na Grande Vitória e no interior do Espírito Santo, várias medidas de prevenção foram adotadas, para garantir a segurança de todos, como:

– Divulgação de cartazes com orientações sobre higiene pessoal e prevenção entre seus funcionários;
– Álcool em gel 70% foi disponibilizado em vários locais das obras;
– Higienização obrigatória ao entrar na obra;
– Os funcionários ganharam máscara e o uso tornou-se obrigatório;
– Cada setor recebeu pia com água e sabão para facilitar a higienização;
– É realizada a limpeza constante nos bebedouros, mesas de refeitório e espaços comuns;
– O uso de bebedouros e refeitórios segue distância de segurança;
– Limitação do máximo de 4 funcionários por mesa do refeitório e delimitação de distância mínima com auxílio de pinturas nos bancos;
– Número de pessoas dentro de elevadores cremalheiras foi restringido;
– Até o quarto andar, os funcionários devem usar escadas e não elevador;
– Liberação de funcionários com 60 anos ou mais, ou portadores de doenças crônicas;
– Liberação de funcionários com sintomas de gripe e/ou resfriado.

“A prevenção é a melhor arma que temos contra o contágio do coronavírus e é importante que cada um faça a sua parte pra proteger a si mesmo, seus colegas de trabalho e suas famílias”, ressalta Marcelo Reblin, gestor de obras da De Martin Construtora.